24 horas em Amsterdã

by - segunda-feira, agosto 31, 2015


Se tem um lugar que eu voltaria agora, sem pensar duas vezes, esse lugar é Amsterdã. Que cidade encantadora! Linda linda, coisa de contos de fada, completamente diferente de qualquer e toda cidade aqui no Brasil. Amsterdã tem um encanto único, um ritmo de vida especialíssimo, uma poesia particular. É uma cidade que encanta a vista de jovens e idosos, adultos e crianças, democraticamente: existe uma Amsterdã especial para cada um deles, para todos os gostos, para todos os prazeres (definitivamente!).

Reconhecida internacionalmente pelo seu liberalismo comportamental, que traduz-se na liberação da maconha, da prostituição e do sexo, Amsterdã surpreende por ser uma cidade calma, familiar até, e, ao mesmo tempo, jovem, descolada, divertida. Um desses lugares para passar uma semana inteirinha explorando, passeando calmamente pelas ruas, parando para tomar um café, visitar um museu ou tomar um cerveja em um dos muitos bares do Red Light District.

Apesar disso, tudo o que eu tive na cidade foram 24 horas. E só. Uma loucura, uma saudade, uma correria: mas valeu MUITO a pena. E como aproveitamos bem cada segundo dessa trip, conhecemos bastante da cidade, caminhamos por ela de cima à baixo e ó, confesso: nos apaixonamos. Não poderia ser diferente.

Dam Square, lotada de jovens!

Tudo começou numa quarta-feira. Poxa vida, quem encontra passagens Paris - Amsterdã por 90 euros não pode deixar essa oportunidade passar. A companhia foi a Transavia, e a viagem, apesar de ser em uma companhia low cost, foi muito agradável e rápida. Agendamos para a semana seguinte, e lá fomos nós.
Na verdade, deixamos para reservar o quarto (alugado, pertinho do Vondelpark - pelo Booking, se não me engano) nas vésperas, e a viagem foi desde o início uma completa loucura. Mas deu tudo certo! E só podemos agradecer por isso.

Chegando no Aeroporto de Schiphol em Amsterdã, pegamos o trem para a Estação Central (Amsterdam Centraal), que por si só já é lindíssima. Imponente, antiga e muito bem localizada, ela fica ali, bem aos pés da Damrak, rua principal da cidade, onde estão localizados as principais lojas e restaurantes de Amsterdam. Além disso, logo ali do lado, fica o Red Light District...

E à primeira vista, Amsterdã já encanta. Os canais, as construções antigas, a arquitetura holandesa, as bicicletas: tudo remete àquele imaginário já consolidado da cidade, coisa que figurava nos meus sonhos há anos. E poxa vida, aquilo era real! Eu estava ali! Caminhamos pela Damrak, compramos tickets para o museu do Van Gogh e para o passeio de barco do dia seguinte (e recomendamos, para evitar filas!), e nos aventuramos no Red Light District, que fica bem ali pertinho, virando à esquerda. Ver as meninas nas vitrines é um pouco chocante sim, e a quantidade de maconha nas ruas é assustadora, mas "normal" por lá. Não se assuste. Cookies de maconha, souvenirs eróticos e até o museu do sexo estão por lá, e tudo isso é tratado com a maior normalidade pelos nativos, pelos turistas que visitam (famílias, inclusive), e, principalmente, pelos jovens. No mínimo, é um passeio MUITO divertido.

E esse é o momento ideal para parar, provar uma cerveja holandesa e pedir batatas fritas em um das milhares de lojas to go das queridas fries. Servidas com um especialíssimo molho de.. maionese, as batatas-fritas de Amsterdã já são um ponto turístico na cidade. É sério. Elas estão por toda a parte. E não se surpreenda se, ao perguntar sobre a culinária holandesa, ouvir um sincero "There isn't.". Os próprios holandeses reconhecem a fraca culinária regional, mas farei algumas ressalvas por aqui, logo adiante. De qualquer maneira, os hábitos americanos, italianos e franceses imperam: são várias casas de massas, boulangeries e hamburguerias. Fome, ninguém passa.

O Palácio Real à noite: Lindo!

Depois dessa aventura e devidamente munidos de batatas fritas com molho, sentamos na famosa Dam Square e observamos o anoitecer, o enorme movimento de jovens na praça (que ali sentam-se para conversar, tomar uma cerveja, jogar uma ideia fora) e o suntuoso Palácio Real de Amsterdã, que fica bem ali em frente. Lindo! E ainda mais imponente à noite, quando iluminado.

Encantados mas cansados, foi hora de ir para casa. Como o relógio já marcava as 11 (sim, anoitece muito tarde por lá!), pegamos um taxi e rumamos para o nosso confortável quarto, um pouco distante dali, para descansar e acordar cedo no dia seguinte. Foram só as primeiras 4 horas na cidade, e já estávamos completamente apaixonados... (continua)

Amsterdam Centraal, a imponente estação! 

You May Also Like

0 Opiniões sobre