Le Château de Versailles

by - segunda-feira, setembro 28, 2015


Uma das coisas que mais me encanta na cultura francesa é a sua história. Reconhecer nela alguns dos maiores ídolos da humanidade e os principais movimentos filosóficos, artísticos e culturais que abalaram a sociedade nos últimos milhares de anos são apenas alguns dos privilégios em desbravar os segredos da história francesa, repleta de sábios, revolucionários, pensadores e políticos famosos, cujas ideias repercutiram não só na Europa, como também em todo o mundo. É uma aventura fantástica se perder um pouco no meio desse verdadeiro almanaque da história mundial que é a França, até hoje.

E então temos Versalhes. Residência real de 1682 até 1789, o suntuoso castelo localizado na modesta cidade francesa de mesmo nome abrigou desde o Rei Sol até Luís XVI, presenciando alguns dos mais importantes eventos da Revolução Francesa. Além disso, símbolo do absolutismo francês, a residência é um perfeito exemplo da arquitetura clássica, com direito ao refinado gosto da excêntrica rainha Maria Antonieta, a última a abrigar o castelo.

Detalhe de um dos tetos decorados do castelo: inspirador! 
Passear pelo castelo é, no mínimo, uma atividade encantadora. Tudo é um convite para a contemplação. A arquitetura perfeita, a decoração elegante e todos os detalhes desse projeto bilionário são, realmente, de surpreender os olhos. A Galerie des Glaces (Galeria dos Espelhos), por exemplo, é um dos pontos auges da visitação: com 357 espelhos que refletem a vista do jardim, a galeria servia de ligação do quarto do rei à capela, além de ser utilizada em cerimônias especiais, como nascimentos e casamentos.

Além disso, cada pedacinho do castelo é em si só carregado de história. Com os guias escritos sobre cada cômodo, ou ainda com a companhia de um guia especializado (várias empresas de turismo oferecem esse tipo de pacote), é possível descobrir vários segredos e curiosidades da história do castelo, como a curiosa porta que interligava o quarto do rei ao quarto da rainha (sério, reparem!).


E para a visita ficar ainda mais interessante, não deixe de conhecer os jardins do castelo, considerados os mais belos e surpreendentes de toda a França. Uma obra colossal - como bem define o próprio museu - e detalhadamente planejada, constitui um dos passeios mais obrigatórios e agradáveis, uma vez na França. Aproveite para alugar uma bicicleta, fotografar as flores e admirar os lagos, obras de arte e labirinto. Uma verdadeira perfeição da arquitetura francesa.

Para completar, caminhe até os Domínios de Maria Antonieta e conheça o Petit e o Grand Trianon, construções adjacentes que, embora façam parte dos domínios do castelo, possuem certa independência em relação a ele. Nos seus domínios, a excêntrica rainha realizava suas festas com toda a privacidade, além de descansar e selecionar minuciosamente seus convidados. Como um pequeno castelo, as construções são surpreendentes - e o gosto refinadíssimo da Rainha garante o toque de excelência na decoração.

Galerie des Glaces: Surpreendente!

Cansado do passeio? Bom, toda essa andança vai te tomar pelo menos um dia, mas você pode voltar ou ir para os Domínios da rainha com um petit train, o que é mais rápido e fácil do que atravessando todo o jardim (mas não tão prazeroso!).

Além disso, uma pausa para as refeições é fundamental. O famoso café Angelina, que já falei aqui, está por lá, oferecendo, além dos tradicionais doces e do chocolate quente, verdadeiras refeições deliciosas, mas com preços salgados. Se preferir, visite as delicatessens mais simples distribuídas pelo castelo, com sanduíches, saladas e refrescos com preços mais justos - mas nada muito saboroso. Importante notar, aliás, que os piqueniques nos jardins do castelo são proibidos, mas você pode aproveitar outras áreas da cidade - que é pequenininha, mas encantadora.

E como chegar a Versailles? Bom, não há muito mistério. O trem RER C, que você pega diretamente do metrô em vários pontos, te deixa a alguns metros do castelo, mas para isso você precisa se assegurar de comprar tickets que cubram até a zona 4. Além disso, varias companhias de turismo parisiense oferecem pacotes no Castelo, com acompanhamento de guia em ônibus privado. Pode ser uma boa, e super sugiro a Paris City Vision como uma boa opção.

Fique também atenta aos horários do castelo (9h da manhã), e chegue cedo, para evitar filas. Se possível, compre os tickets antecipadamente e evite o fim de semana, quando fica muito movimentado. O passaporte por 18 euros te garante livre acesso ao Castelo, aos Domínios de Maria Antonieta e ao Jardim, o que garante um passeio completo - e que vale muito, muito a pena.


Divirta-se, evite os dias de chuva e depois me conte, aqui, o que achou da experiência. Tenho certeza que você não vai se arrepender.


Um beijo,
Jú.
(+ informações)

You May Also Like

0 Opiniões sobre