Cuba: Ficción y fantasía

by - sexta-feira, novembro 13, 2015



A Casa Daros apresenta, até o dia 13 de dezembro, uma exposição incrível, sensível e inspiradora que resgata os melhores trabalhos dos principais artistas cubanos, com obras pertencentes à coleção Daros Latinamerica. 

De valor único no ponto de vista ideológico e cultural, a exposição é uma ótima maneira de aprofundar-se na ótica cubana, país que compartilha de tantas semelhanças - e gritantes diferenças - com o Brasil. 

Comunista, ditatorial e marcada por profundas cicatrizes do bloqueio econômico norte-americano, Cuba é um país inspirador por sua própria história, seus movimentos políticos e filosóficos e principalmente por suas condições de vida, invariavelmente associadas à pobreza e atraso. Mas Cuba é muito mais do que isso - e o trabalho desses artistas cubanos vem demonstrar a potencialidade artística e cultural que o país guarda. 



Para começar, o trabalho dos artistas Los Carpinteros é incrível: utilizando primordialmente a madeira, eles criam novos móveis e construções inspiradoras, embora um tanto fantasiosas. Já imaginou um guarda-chuvas de madeira - e de cabeça para baixo! - bem no meio da sua sala?
Além disso, a própria temática do país inspirou muitos dos artistas em suas criações: O bloqueio econômico norte-americano, por exemplo, foi tema da obra de Tonel, e a chuva de facas de Lázaro Saavedra representa, para o autor, a relação entre o  "espectador e a obra". Já Tania Bruguera buscou o espanto com sua obra "Destierro", que chegou a ser desfilada pelas ruas de Cuba, documentando a surpresa e o medo dos transeuntes. A fotografia delicada de Marta María Pérez Bravo, por sua vez, surpreende pelos títulos - e a incrível sensibilidade criativa da fotógrafa. A foto acima, por exemplo, representa "Proteção" para a artista.



Outra fotografia surpreendente de Marta é a sua "barca da vida", encenada com o próprio corpo humano. José Bedia propõe um "Último refúgio" que destaca-se ao fim de uma das salas principais, e o relaxamento de Ivan Capote é proposto por um headphone de conchas, que não poderia ser mais original. Ivan, aliás, é também o responsável pelo quadro "Dislexia", que logo avisa: "La vida es un texto que aprendemos a leer demasiado tarde" E não é?

Além disso, a Casa Daros oferece, todos os dias, oficinas de atividades inspiradas na exposição e que buscam evocar a criatividade e o senso crítico dos visitantes. Os trabalhos finais são expostos por alguns corredores da construção e, acreditem, o trabalho das crianças pode ser muito, muito inspirador (como o "Espelho da Beleza Eterna", visto acima). Motivos não faltam para visitar a Casa, que recebe essa derradeira (snif snif) exposição (sim, ela deixará de acolher exposições no ano que vem). 

Simbólica diante do momento político que Cuba vem vivendo - o estreitamento das relações com os Estados Unidos, por exemplo, implicará em profundas transformações no país - a amostra é um convite a reflexão e ao refinamento do olhar, por trás da criatividade de artistas singulares e orgulhosamente, latino-americanos. Você não pode perder.

Um beijo,
Jú.

You May Also Like

0 Opiniões sobre