O Amanhã

by - quinta-feira, março 10, 2016


Entusiasta de museus que sou, mal pude conter a minha ansiedade para conhecer a maior novidade carioca, o Museu do Amanhã
Com arquitetura imponente e inovadora, a construção do museu já se tornou, por si só, um marco na cidade e no projeto de replanejamento urbano da área do Porto Maravilha, que engloba também a Praça Mauá (onde fica o museu).

Moderno, e com um quê de "nave espacial" que até lembra os trabalhos do saudoso e querido Oscar Niemeyer, o museu, assinado pelo arquiteto espanhol Santiago Calatrava, compromete-se com a sustentabilidade à medida que abriga, além de painéis de captação de energia solar, todo um sistema elaborado de reaproveitamento da água do mar para a refrigeração do prédio.

Desse modo, cumpre com seus objetivos fundamentais: ser um projeto pensado para a comunidade e pela comunidade, em prol do desenvolvimento sustentável e de um futuro melhor.


O "Churinga": artefato australiano que simboliza as relações entre passado e futuro; e alguns dos painéis incríveis espalhados pelo museu

Visitá-lo se torna, na realidade, uma grande experiência humana e pessoal de reconhecimento. Sim, reconhecimento - somos instigados a desvendar os mistérios das nossas origens enquanto espécie e enquanto seres vivos, recorrendo, para isso, até mesmo à formação do universo.

Como um processo cronológico, portanto, o museu demonstra a nossa constituição, da infinidade galática às especificidades sociais. Universo, corpo humano, sociedade e todos os seres vivos são revelados nas suas nuances mais determinantes, de forma dinâmica e didática, através de experimentações das artes visuais, sensoriais e artísticas.


Fluxos, de Daniel Wurtzel
Contando ainda com trabalhos incríveis, como a obra Fluxos, de Daniel Wurtzel (acima), que demostra  o movimento dos "quatro oceanos"; ou então a exposição temporária Perimetral, que leva assinatura de Vik Muniz, Andrucha Waddington, Liana Brazil e Russ Rive, o museu surpreende, encanta e provoca a reflexão de nós, visitantes curiosos, que somos ainda continuamente surpreendidos por tudo aquilo que nos é inerente.

A exposição "Perimetral" e outros detalhes do museu: textos ótimos, criação de luminárias e fotografias inspiradoras

Os textos são inúmeros e as possibilidades de interação virtual (você recebe um cartão magnético e, com ele, tem acesso a inúmeras possibilidades) são imensas, o que torna a visita ao museu uma atividade permanente e contínua - não adianta tentar "conhecer tudo" de uma vez. E nem vale a pena.
Pois acredite: você vai querer voltar!


Ps 1.: O Museu conta ainda com um Laboratório em horários específicos, cujas atividades incluem a construção de luminárias para um leilão beneficente ou então a descoberta do preparo de uma cerveja.

Ps 2.: Para quem está conhecendo o Rio, vale a pena também visitar o MAR (Museu de Arte do Rio), que já apareceu aqui no blog, e que fica bem em frente ao Museu do Amanhã.

Museu do Amanhã
Terça à domingo, 10 às 17h
Praça Mauá, Centro - Rio de Janeiro
R$10 inteira e R$5 meia (às terças a entrada é gratuita)
Metrô: Estação Uruguaiana


You May Also Like

0 Opiniões sobre