[turistando]: a casa de Frida

by - terça-feira, junho 06, 2017


Quando eu e minha família começamos a pensar em qual seria o nosso destino em janeiro desse ano, eu já tinha uma resposta na ponta da língua: México. Mas não as praias do litoral caribenho - eu queria conhecer mesmo a capital, onde tudo acontece, a grande Cidade do México, do trânsito infernal e de uma das histórias artísticas que eu mais amo. A história de Frida.

Nos últimos anos, a influência dessa artista mexicana na minha vida tem crescido de forma ímpar. Seja pela sua arte, super colorida e inspiradora, e que inevitavelmente reflete nos meus trabalhos, seja pela sua história, dramática e ainda assim cheia de vida, Frida me inspira, todos os dias, a ser quem eu sou. A sua força de vontade, a sua coragem de ser quem é, são coisas que, acredito eu, todo mundo devia levar um pouco pra própria vida. E é por isso que eu decidi - e convenci minha família! - conhecer a origem de toda essa energia, na vibrante e colorida Cidade do México. E lá fomos nós.


A primeira parada não poderia ser diferente: a icônica casa azul, onde Frida nasceu e morreu, ainda que tenha morado em outros lugares. Essa casa tinha um significado muito especial na vida na artista e sempre que podia, era pra lá que ela voltava. 

Pra evitar filas, compramos os bilhetes antecipadamente pela internet, e entramos logo no primeiro horário - o que é ótimo, já que Coyoacán, onde fica a casa, é um dos distritos mais interessantes da cidade, e é onde fica também o grande Mercado de Coyoacán (um espaço incrível pra conhecer um pouco mais da cultura e gastronomia mexicana). 


Na casa colorida, a gente encontra os locais de trabalho de Frida e Diego, marido de Frida, que também viveu ali. Eles pintavam de frente para o jardim - que, aliás, é um dos espaços mais encantadores da casa - e daí dá pra entender muito da inspiração florida característica das obras da pintora. 

Frida ainda está ali, dá pra sentir. Suas cinzas foram guardadas em uma urna, em formato de sapo, no antigo quarto da artista. A tristeza da perda se mistura com a alegria de quem finalmente descansa, em casa. Frida parece feliz.


Em uma parte anexa no museu, a gente encontra algumas das roupas de Frida, que ficou também muito conhecida por sua indumentária, com forte influência dos povos indígenas mexicanos. Frida tinha muito orgulho de seu povo e de sua cultura, e era completamente apaixonada pelo México. 

Além das roupas especiais, criadas para amenizar suas terríveis dores na coluna, a maioria das peças de Frida era colorida e bordada, com saias longas e adereços na cabeça. Coisa linda! 

Body golinha: Carolina Etz | Saia: FARM | Xale da vovó | Botinhas do Camden Market, em Londres

E essa sou eu, encantada e apaixonada demais pra dizer alguma coisa, depois de visitar esse cantinho especial no mundo.

Fica a dica: quem tiver a oportunidade, não deixe de conhecer a Cidade do México, e muito menos a casa de Frida. É inspiração pra vida toda!

You May Also Like

0 Opiniões sobre