[turistando]: um dia na Bretanha

by - terça-feira, fevereiro 06, 2018

Vista do forte e da praia de Saint-Malo!
Oba, as viagens pela Europa começaram! Tô aproveitando os fins de semana, quando não tenho aula, para conhecer lugares novos pela França e por outros países europeus, e é claro que vou compartilhar tudinho aqui, com vocês, com ainda mais detalhes do que já posto no Instagram 😊 

E pra começar, passamos o fim de semana dos dias 20 e 21 de janeiro em dois lugares incríveis da França que, infelizmente, não ficam tão próximos de Paris: Saint-Malo e Mont Saint-Michel, o primeiro parte da região da Bretanha e o segundo, da Normandia

Lojinhas de produtos marítimos não faltam por Saint-Malo! 
Em excursão com a galera da faculdade, começamos nossa viagem por Saint-Malo, uma pequena comuna à beira mar que faz parte da Bretanha - uma das regiões mais excepcionais da França.

Fortificada, a cidade tem sua história extremamente ligada à navegação e às expedições marítimas, e não à toa um dos seus personagens mais célebres é o marinheiro Jacques Cartier, conhecido por ter "descoberto" o Canadá.


Destino ideal no verão, mas não menos charmosa no inverno, Saint-Malo é uma daquelas cidades que dá vontade de ficar e passar algumas noites, sem pressa. Lá também é o lugar certo para quem procura frutos do mar e, é claro, as famosas galettes bretonnes, espécie de crêpe com massa de farinha de sarrasin (sem glúten!) e geralmente recheada com queijo, presunto e ovo (há opções vegetarianas).

Para ir de Paris a Saint-Malo, há o trem e também o ônibus (entre 4 e 5 horas de Paris), opções confortáveis já que na cidade não é preciso andar de carro. Pelo menos em Saint Malo intra muros, parte histórica e a qual eu conheci, é possível fazer tudo a pé, caminhando por ruazinhas simpáticas e românticas, ideais para boas fotos. Embora não tenha dormido na cidade, posso dizer que encontrei um Ibis Style super bem localizado por lá 😏 #ficaadica


Mas o que fazer na cidade, afinal? Bom, além de comer muito crepe, se perder pelas ruazinhas e quem sabe até tomar um banho de mar (no verão, é claro!), vale a pena caminhar pelo Forte, entrar na Catedral e assistir ao pôr do sol (dizem que é lindo!), acompanhado, sempre, de uma boa cidra, bebida típica da região da Bretanha e que é a cara do verão!

Quer combinação melhor? 😍

Euzinha, muitíssimo bem agasalhada para aguentar o vento frio da Bretanha!
Além dos navegadores, outro personagem popular na cidade é o escritor François-René de Chateaubriand, romancista que morou em uma das casas mais bonitas na cidade e que hoje, é um hotel.

Por lá, aliás, é possível ter uma noção da arquitetura dos séculos XVIII e XIX, quando a quantidade de janelas e de vidros de uma casa, assim como a presença de escadas em espiral - perceptíveis pelas torres, por exemplo, simbolizavam riqueza.


A cidade também conta com um museu que explica melhor toda a sua história, mas infelizmente não tivemos tempo de visitar. Para saber melhor sobre ele e os demais da cidade, vale a pena dar uma olhada no site oficial.

Quem mais ficou com vontade de correr para uma cidadezinha francesa no verão? o/

No próximo post, Mont Saint-Michel!

Até já!

Ju

You May Also Like

0 Opiniões sobre