Um café em Bratislava

by - terça-feira, julho 17, 2018


Eis que no meio da viagem pelo leste europeu (que contarei com mais detalhes em próximos posts), me surge, no mapa, uma cidade pequeninha, menos conhecida que as suas vizinhas, e capital de um país que eu jamais imaginei visitar, a Eslováquia. Soma-se a isso, ainda, um amigo que conheci em Paris, nascido e criado na cidade, e pronto: arrumei um diazinho para conhecer a Bratislava, cidade que fica bem no meio do caminho entre Viena e Budapeste. Se tiver a oportunidade, inclua ela no seu roteiro também.


O clima não era dos melhores. Na verdade, pegamos uma mistura de temporal e muito calor por lá na época em que fomos, em maio. Mas isso não foi suficiente para atrapalhar o passeio, afinal, tínhamos apenas um dia para conhecer os principais pontos turísticos da cidade.

Por isso, a escolha de um hostel bem localizado foi fundamental. Ficamos no Dream Hostel Bratislava, e demos a sorte de, devido a uma mudança de última hora, nos colocarem em um quarto privado, só eu e meu namorado. Huhu! De lá, fizemos tudo a pé pela cidade, começando pelo seu centro histórico.

É lá que você vai encontrar monumentos e praças importantes, a estátua do Man at work (com todo mundo tirando foto!), e o Palácio dos Primados, um prédio cor-de-rosa (o da primeira foto desse post), onde foi assinado o Acordo de Paz de Pressburg.


De lá, é só dar uma esticada até o castelo de Bratislava, principal ponto turístico da região, e que hoje abriga o Museu Nacional. A subida é tranquila, e não paga-se nada para visitas os arredores do castelo. Antes, no entanto, vale a pena tomar um café no Gorilla.sk Urban Space, uma mistura de livraria e café incrível na cidade. É imperdível.

Mas se a fome for de almoço, o famoso Slovak Pub corresponde a todas as expectativas. Não deixe de experimentar a sopa de alho servida dentro de um pão (que é um prato típico!) ou o Bryndzové Halusky, espécie de nhoque com molho de queijo de cabra de-li-ci-o-so. Aliás, os queijos da cidade não deixam a desejar não, viu.

No quesito guloseimas, o país tem várias opções superdiferentes, criadas no período comunista, como a Kofola - um tipo de coca-cola local. Os biscoitos Chrumky, de amendoim, e o doce Mila, também são dessa época. Aliás, eles amam amendoim: não se espante se esse for o aperitivo servido de cortesia em algum barzinho, como o pub Fabrika, onde o meu namorado jura ter experimentado a melhor cerveja de sua vida. Pra não ficar na curiosidade, é melhor ir lá experimentar.


No dia seguinte, se ainda sobrar disposição - e tempo - tome um bom café da manhã (nós fomos no Rannô Ptáca e gostamos) e suba até o memorial de guerra Slavín, que oferece uma bela vista da cidade.

Depois disso, é só arrumar as malas e partir para o próximo destino.

Até lá!

Ju

You May Also Like

0 Opiniões sobre